Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BEATZONE

Produtora Independente de HipHop e Derivados

BEATZONE

Produtora Independente de HipHop e Derivados

Fu da Siderurgia - analoguELEKTRONICA | Resenha do Show @ XHUB

31.07.23

WhatsApp Image 2023-07-29 at 16.23.10.jpeg

A intimidade com o afrofuturo
Data : 28 de julho 2023
Local: X-Hub

Nesta sexta-feira (28.07) aterrou no espaço criativo da X-Hub uma nave espacial catalogada como " analogueELEKTRONICA " a nave afrofuturista trazia a bordo cinco tripulantes trajados de arte diversificada - criação de Vdmpattern
Poesia
Afrofuture Beats
Rap
Rock
Afroeletrónica
Com um toque de liberdade que pousou no local .

Chegada

O evento começou as 17hrs, com a revisão dos equipamentos de som , o tão conhecido e aclamado " teste de som "
Os tripulantes a bordo , testaram suas vozes e tudo estava a postos para o futuro acenar, mas fez-se de rogado e só chegou as 19hrs ..

A casa

O local escolhido a dedo para a nossa aterissagem tem também um ar do futuro
As raízes de árvores cozidas no sobsolo permitiram que a natureza pudesse brotar subtileza ao local,
desde a entrada ao palco , o espaço criativo X-Hub, não poupou nos detalhes para estar íntimo do futuro, uma miscelânea de vintage e Vanguard no mesmo sítio trazem sem dúvida uma conjuntura caseira
Vamos ao futuro?
Sim !!
O analoguELEKTRONICA chegou com o Fu da Siderurgia e suas obras que perfuram alma afroelectronicamente ...
E de seguida a Neblina chegou com um poema cheio de café, a Nyanga do Rap trouxe de sua alma para fora a teoria da conexão divina , para um pouco de rock , Rock Manuel fez-nos ir ainda mais perto do futuro acompanhando o Rebelde, tripulante VDM , que nos trouxe a sua voz escaldante e a melodia da mbira... Rock Manuel Trouxe-nos suas nuances ligadas ao “ cão que roubou o pão e de seguida o ladrão roubou o cão e que parou na prisão ” e a trilha "Loku unga lavi tsika". Nyanga ya Rap , frisou sobre a identidade feminina que se perde dia pós dia , citando a importância da sua restauração. A Neblina por sua vez impôs a necessidade de dar-se liberdade ao par de seios , incitando deste modo que às mulheres dispensem os sutiãs em casa , tudo isso no seu poema " porta seios "

O público

A casa estava harmônica aproximadamente 30 pessoas estavão posicionadas e excitadas para orbitar no afrofuturismo
Por volta das 21hrs chegava ao fim nossa viagem afrofuturistica
A nossa nave agradece o calor imenso recebido
E lembrem - se sempre de ser originais pois sejam menos "macacos"
"macaco faz o que macaco vê"
Monkey do what monkey see.

 

Texto: Neblina
Fotos: Xisto Fernando Criative e Outros